+55 (11) 937.049.607


Erinaldo e o pai, Amaro Lino, de 83 anos, que luta para manter a propriedade
CortesiaErinaldo e o pai, Amaro Lino, de 83 anos, que luta para manter a propriedade

O agricultor Amaro Lino da Silva, 83 anos, entrou com ação de usucapião na vara de Passo de Camaragibe, para que as terras pertencentes a sua falecida mãe, dona Senhorinha, permaneçam com a família. O fato é que invasores tomaram parte das terras e ameaçam os herdeiros constantemente. Alguns Boletins de Ocorrência (BO) foram feitos e os verdadeiros donos da terra pedem que a Justiça tome as providências cabíveis. 

Localizado em Porto de Pedras, o Sítio de Esterro possui (dois) 2,7095 hectares e quando a mãe faleceu, há 46 anos, Amaro estava na companhia dela e continuou com a posse da terra. Plantava coqueiro, bananeira e outras culturas no sítio. Foi lá que o agricultor criou todos os filhos. “Foram nascidos e criados no terreno”, disse Erinaldo Nascimento, 46 anos, filho de Amaro. E acrescentou que como a família é grande, alguns se mudaram, foram trabalhar em outros lugares, mas a casa continua na posse dos herdeiros. “Quem pôde permanecer na área, permaneceu”, afirmou. 

Erinaldo disse que tudo começou quando seu tio, pouco tempo antes de morrer, foi ao sítio perguntar se o irmão Amaro gostaria de vender sua posse. Segundo ele, o pai até manifestou o desejo de vender, mas nada foi concretizado. Porém, através de uma boa conversa, “o rapaz que está (mora) aqui em frente instalou-se sem comprar, sem fazer negócio algum. Apenas em conversa, dizendo que iria comprar”, relembrou.

Seu Amaro esperou que a negociação continuasse, a parte interessada fez a proposta, mas não aconteceu. Mesmo assim, disse o filho de seu Amaro, o invasor foi se instalando aos poucos e com o passar do tempo perceberam que ele não queria comprar área alguma. Diante da invasão e sem recursos para pagar advogado, há três anos buscaram a Defensoria Pública para pedir reintegração de posse e em seguida o usucapião. A reintegração de posse não teve êxito- audiência aconteceu no último dia 19 de julho. Em outra, o oficial não chegou até a família de Amaro, que não ficou sabendo o dia da audiência. 

“Agora não teve êxito, mas tudo está encaminhando para usucapião. Está na mão da Justiça. Estamos aguardando e confiantes que teremos a posse da terra deixada por minha avó há quase 50 anos”, comentou Erinaldo. As terras foram invadidas por Gilberto Santiago e como se não bastasse as ameaças são constantes. Já foram lavrados dois BO e encaminha para o terceiro. É que recentemente o Altair e o irmão, parentes de Gilberto, foram até a porta da família de Amaro e tentaram bater na esposa de Erinaldo. “Estiveram aqui em minha casa e só não bateram em minha esposa porque tinha alguém aqui no meu quintal. No outro dia de manhãzinha um deles estava “amoitado” no quintal de minha casa, dando pressão para a gente sair daqui. Não aguentamos mais e queremos que a Justiça também faça alguma coisa sobre as ameaças”, pediu o herdeiro de Amaro.

Leia na íntegra no EXTRA nas bancas!



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *