+55 (11) 937.049.607


Em entrevista divulgada nesta sexta-feira (8) pelo SBT, o meia-atacante Antony, do Manchester United, falou pela 1ª vez sobre as acusações de agressão verbal e física feitas pela DJ e influencer Gabriela Cavallin.

Cortado recentemente da seleção brasileira e atualmente investigado pela polícia tanto no Brasil quanto na Inglaterra, o atleta admitiu que tinha uma “relação tumultuada” com a ex.

No entanto, assim como já havia feito através de suas redes sociais, ele salientou que não cometeu agressão física contra Gabriela em nenhum momento (veja a linha do tempo das acusações).

Veja as principais frases de Antony na entrevista:

  • Sobre a relação com a ex-namorada: “Era uma relação meio turbulenta. Havia ciúmes de ambas as partes, da minha parte e da dela também. Esse assunto de assumi-la (publicamente como namorada) causava estresse nela e a gente acabava discutindo. Bastante coisa (causava ciúmes de Gabriela com Antony), até porque eu estava com a Gabi (Cavallin), mas me relacionava com outras mulheres também”

  • Sobre briga que tiveram no carro: “Agressão (física), não. Nunca encostei nela. Eu cheguei primeiro na balada sem avisá-la, me nenhum momento eu a chamei para a festa. Fiquei sem conversar com ela. E, quando eu fui embora, não a chamei, só falei para meu segurança e para meu amigo que estava indo. Ela foi atrás de mim, falou: ‘Vai embora e não vai me chamar?’. Eu paguei a conta e entrei no carro. Meu primo estava com meu carro, e era um outro amigo que estava dirigindo (o carro em que o casal foi embora). Em nenhum momento falei isso (que iriam morrer no carro ele, Gabriela e o bebê do casal). Ela que começou a se alterar dentro do carro, falou: ‘Por que você veio para a balada e não me avisou?’. Começou a me chamar de lixo de novo, falou que ia acabar com a minha vida e com a minha carreira. Ela sempre falava isso. Eu estava no carro e fiquei quieto. Eu estava no banco de trás com ela e meu amigo estava dirigindo. Ele não parou o carro me nenhum momento. Ela me empurrava, perguntava: ‘Por que você veio para a balada sozinho?’. Nesse momento, eu nem a segurei nem nada, porque ela que ficava me empurrando dentro do carro, nem cheguei a segurá-la. Jamais (puxei o cabelo). Nunca (ameaçou jogar Gabriela para fora do carro). Não sei por que ela fala isso. Tem muitas coisas que ela está falando que não são verdade”

  • Sobre prints de WhatsApp em que xinga e faz ameaças a Gabriela: “Tem coisas que foram alteradas por parte dela nos prints. Ela chegou a mandar mensagem e apagar uma frase que eu mandei, só deixa uma palavra que eu escrevi. Tem o exemplo de um print que ela soltou (na imprensa) em que eu falo ‘perdão’ e ela apaga uma frase. Tenho provas disso tudo. Eu vou entrar em contato com meus advogados e eles vão colocar tudo isso no inquérito”

  • Sobre a frase “espero que você morra” nos prints: “Existiram palavras, mas tem que ver o contexto da conversa. Eu cheguei a dizer (a frase), mas jamais diria: ‘Ah, morra!’. Não é ‘morra’ querendo dizer que ela vai morrer. Era tipo um xingamento. Até porque, se você ver o contexto da história, o que ela me manda, o que ela me mandou, tudo o que ela já falou para mim, falando que queria que eu morresse, que eu não presto, que sou nojento, que sou moleque, que não sou bom pai… Já me falou muitas coisas também”

  • Sobre a foto em que Gabriela aparece com sangue na cabeça: “Negativo [não a agrediu]. Em nenhum momento em encostei nela. Nunca vou dar uma cabeçada em uma pessoa. Ela estava num hotel e mandou mensagem para mim. Treinei de manhã, peguei meu carro e fomos para o hotel dela. Almoçamos juntos normalmente, conversamos normalmente, tudo estava normal. Mas tinha uma coisa que irritava ela, que era quando eu falava que precisava ir porque tinha meus compromissos. Falei que precisava ir, tivemos uma discussão, ela pegou meu rosto [mostra a maneira como Gabriela teria apertado seu rosto] e falou: ‘Olha aqui para mim!’. Ela fez isso e colocou a mão no meu rosto. Eu fui ao banheiro, fiquei um pouco lá, fiquei uns cinco minutos lá, depois saí e falei: ‘Preciso ir embora’. Ela (parou) na porta e falou: ‘Você não vai’, e não me deixou. Tentei ir embora e ela não deixava. Aí ela quebrou copos, pratos. Jogou no chão e jogou na minha direção também. Ela veio para cima de mim. Nesse momento, eu a segurei. Em nenhum momento cheguei a apertá-la. Não dei cabeçada nela. Quando ela me mandou a foto (da cabeça sangrando), eu já tinha ido embora, já estava em casa. Eu estava no hotel com ela antes e al não estava machucada. Não sei (o que aconteceu). A gente estava lá, eu a segurei e a acalmei, depois de um tempo ela se acalmou. Conversamos ee eu fui para casa, porque tinha outros compromissos com meu trabalho”

  • Sobre acusação de Gabriela de que Antony teria lhe dado um soco no seio e deslocado sua prótese de silicone: “Jamais. Eu dar um soco no peito de uma mulher? Como eu disse para você: eu a segurei, mas não segurei forte. Até porque foi diagnosticado em 2020 a situação do silicone dela, antes de eu conhecê-la. Ela já tinha que trocar um negócio do silicone [N.R.: a reportagem do SBT também apresentou um laudo médico de 2020 em que um médico da cidade de Presidente Prudente, onde Gabriela Cavallin nasceu e onde realizou consulta, recomenda a troca da prótese]

  • Sobre acusação de Gabriela de que ele teria lhe cortado com uma taça: “É mentira, claro que não aconteceu. Como eu vou jogar uma taça na cara de uma pessoa? Sabe como foi o episódio da taça? Ela estava alterada, tinha bebido bastante. A gente estava num churrasco, tinha pagode, tudo normal, ambiente normal. Ela estava bebendo bastante, eu pedi para ela parar de beber. Eu tinha bebido uma taça de vinho, não estava bêbado nem nada, mas ela tinha bebido bastante. Ela estava com a taça assim [mostra a maneira como Gabriela estava segurando a taça], desse jeito. Eu falei para ela: ‘Pare de beber, você está bebendo muito, me dê isso (taça)’. Quando eu puxei (a taça da mão de Gabriela), ela travou (a mão). Na hora que eu puxei, ela segurou, a haste se partiu e cortou o dedo dela. Eu nem puxei, ela que fez força para baixo. Então, eu queria tirar o copo porque ela estava bebendo muito. Minha mão estava presente. Jamais vou jogar uma taça na cara de uma mulher nem de ninguém, nunca”.

  • Sobre a acusação de que teria sido trancado na quadra de futebol de sua casa para se acalmar: “Minha mãe a ajudou, fez curativo na mão dela. Eu pedi para meu amigo ir comprar gaze para fazer curativo. Liguei para o meu fisioterapeita, que entende mais (de ferimentos). Meu amigo foi comprar curativo e meu fisioterapeuta chegou em casa. Quando ele estava fazendo o curativo, eu estava do lado de fora, normal, olhando o dedo dela. Ela fala que eu fiquei trancado… A quadra lá de casa nem chave tem! A porta fica só encostada. Como você pode prender alguém na quadra se não tem chave para trancar, se não tem cadeado nem nada?”

  • Sobre a acusação de que Antony teria pego seu passaporte para Gabriela não voltar ao Brasil: “Vou pegar o passaporte dela pra quê? Jamais pegaria o passaporte dela. Qual o sentido? Ela podia voltar para o Brasil, sem problema”

  • Sobre a acusação de que teria chutado bolas em Gabriela: “Quando o sentido de chutar uma bola nela? Eu vou chutar uma bola numa mulher? Com a nossa força (de jogador de futebol), se chutar uma bola numa mulher, obviamente machuca Ela fala de cárcere privado e quer voltar para a minha casa por quê? Qual o sentido de estar num cárcere privado, como ela fala, e querer voltar para a minha casa? Nego 100% todas as acusações de agressão. Nunca a agredi. Todas são mentira e nada aconteceu”

  • Sobre medo de ter contrato rescindido pelo Manchester United: “É uma coisa que não passa pela minha cabeça. Eu sei a verdade e ela vai aparecer. Sei que muitos estão me massacrando, mas a verdade sempre aparece. O United está por dentro do inquérito todo. Eles estão acompanhando e vão seguir acompanhando”

  • Sobre ter sido cortado da seleção: “Foi difícil… Eu fiquei bastante sentido, ainda mais por uma coisa que tenho certeza que não é verdade e ganhou essa proporção toda. Eu estava aqui com a minha mãe quando soube que seria cortado. Não é fácil. A gente trabalha para realizar um sonho, e vestir a camisa da seleção é um sonho que eu encaro todos os dias. Cava convocação que meu nome está lá eu agradeço a Deus’

  • Sobre ter cometido violência física contra Gabriela Cavallin e outras mulheres que o acusam: “Negativo. Negativo. Tenho 100% de certeza que nunca encostei em uma mulher. E vou vir com as provas. As pessoas verão a verdade. Nunca agredi e nunca vou agredir. Tenho certeza que nunca cometi violência física. Violência verbal… Eu a ofendi (Gabriela) e ela me ofendeu também. Foi de ambas as partes. Violência física, nunca. Quem me acompanha desde pequeno, quando eu não tinha nada, sabe do meu caráter e do tanto que suei para chegar aqui. O que mais quero é mostrar para o povo que esse sou eu. Quero conquistar muitas coisas. Tenho muitos objetivos e muitos sonhos. Quero mostrar quem eu sou de verdade. Sonho voltar para a seleção e quero mostrar que o Antony é inocente de tudo isso”

Manchester United emitiu comunicado

O Manchester United se pronunciou pela primeira vez sobre o “caso Antony” na última quarta-feira (6).

Em comunicado emitido pela assessoria de imprensa, os Red Devils reconheceram as acusações feitas contra o atleta e seguem à disposição das autoridades na investigação, enquanto aguarda o desenrolar do processo.

Veja abaixo:

O Manchester United reconhece as acusações feitas contra Antony e observa que a Polícia está conduzindo investigações.

Enquanto aguarda mais informações, o clube não fará mais comentários. Como clube, estamos levando este assunto a sério, levando em consideração o impacto que essas alegações e as denúncias subsequentes terão sobre as vítimas de abuso.

Como está o caso?

A polícia de Manchester informou na última segunda-feira (4), por meio de comunicado a jornais locais, que a situação de Antony está sob investigação.

“A polícia da região de Manchester está atenta às alegações feitas e mantém investigação em andamento para estabelecer as circunstâncias envolvendo esse incidente. Não vamos comentar mais nada sobre o assunto por enquanto”, informou o comunicado de organização inglesa.

As denúncias contra Antony são de conhecimento público há quatro meses pelo menos, desde quando a ESPN teve acesso ao boletim de ocorrência registrado em junho, e ganharam nova conotação nesta segunda, quando o portal UOL divulgou a áudios e imagens até então inéditos sobre o assunto.

Influenciadora digital e DJ, Gabriela Cavallin relata uma série de agressões e ameaças feitas por Antony, a primeira ocorrida em julho de 2022, sem data exata de acordo com o depoimento da vítima.

O primeiro incidente foi em uma festa na Vila Olímpia, bairro de São Paulo, que Gabriela diz ter sido retirada a força por Antony e seguranças, com direito a puxões nos braços e cabelo. A influenciadora estava grávida de 17 semanas e perderia o bebê pouco depois (veja a linha do tempo).

Antony se pronunciou na última segunda à tarde, em um post em sua conta oficial no Instagram, e negou ter agredido a ex-namorada, apesar de admitir que a relação entre os dois era conflituosa. O atacante também se colocou à disposição da Justiça para provar sua inocência.

A gravidade das acusações fez com que Antony também perdesse a chance de representar a seleção brasileira nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. O atacante foi desconvocado pela comissão técnica de Fernando Diniz, que optou por chamar Gabriel Jesus para o seu lugar.

Próximos jogos do Manchester United



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *