+55 (11) 937.049.607


Hirving Lozano está de volta ao PSV. Após quatro temporadas defendendo o Napoli, o atacante retorna ao clube que lhe abriu as portas para Europa e onde teve seus melhores momentos na carreira. O jogador mexicano deixou a Holanda em 2019 com 24 anos e aparentemente pronto para disputar uma das principais ligas do continente, mas regressa sem ter dado o salto esperado e visando ser protagonista novamente.

Revelado pelo Pachuca, Lozano foi contratado pelo PSV em junho de 2017 por €12,5 milhões. Seu impacto nos Boeren foi imediato, sendo um dos destaques da conquista da Eredivisie 2017/18. Depois de dois anos, deixou o clube rumo ao Napoli por €45 milhões, a maior contratação da história do clube na época. Apesar de contribuições importantes em quatro temporadas em Nápoles e os títulos da Copa Itália em 2020 e do Campeonato Italiano em 2023, o mexicano não conseguiu se firmar como titular ou atingir o nível que prometia.

Agora, Lozano retorna ao PSV por €15 milhões e como o principal reforço para a Liga dos Campeões. O time de Eindhoven disputará a fase de grupos do torneio continental pela primeira vez em cinco anos, e o atacante de 28 anos terá um contexto extremamente favorável para voltar a colecionar boas atuações.

Idolatria em Eindhoven

Hirving Lozano chegou ao PSV em 2017 prestes a completar 22 anos. Apesar da pouca idade e de estar em sua primeira experiência fora do futebol mexicano, ‘Chucky’ não precisou de adaptação. Em seu primeiro ano na Holanda, foi titular em 33 dos 34 jogos que disputou, saindo do banco apenas em sua estreia. Com 17 gols e oito assistências, foi o artilheiro, garçom e principal destaque da equipe na conquista da Eredivisie.

Na temporada seguinte, disputou pela primeira vez a Liga dos Campeões. Apesar dos dois gols marcados e de uma assistência dada, não foi capaz de impedir a eliminação do PSV na fase de grupos. Com dois empates e quatro derrotas, o clube ficou atrás de Barcelona, Tottenham e Inter de Milão.

No Campeonato Holandês, Lozano teve um desempenho idêntico ao do ano anterior em números: 17 gols e oito assistências. O PSV, no entanto, ficou com o vice-campeonato, terminando três pontos atrás do Ajax. Ao todo, foram 21 bolas na rede e nove passes para gol em 40 aparições na temporada 2018/19.

Expectativa e realidade no Napoli

A adaptação imediata e o bom desempenho no PSV chamaram a atenção do Napoli. O clube italiano desembolsou €45 milhões para trazer Lozano em agosto de 2019. A expectativa era de aumentar o poder ofensivo da equipe com um jogador jovem, de potencial e com estatísticas artilheiras, apesar de costumar jogar pelos lados do campo e ter como características principais a velocidade e o drible.

Na prática, Lozano não conseguiu repetir o que fez na Holanda em nenhum de seus anos na Itália. Em sua primeira temporada, perdeu espaço com a saída de Carlo Ancelotti e a chegada de Gennaro Gattuso. Do banco de reservas, viu o Napoli conquistar a Copa Itália nos pênaltis diante da Juventus. Ao todo, foram cinco gols e uma assistência em 34 jogos em seu ano de estreia no Calcio, iniciando como titular 16 vezes.

A temporada seguinte, por outro lado, foi sua mais artilheira com a camisa do Napoli. Com 15 tentos 43 aparições, foi o segundo maior goleador da equipe, atrás apenas de Lorenzo Insigne, que balançou as redes 19 vezes. Lozano começou sendo titular, mas uma lesão na coxa atrapalhou sua reta final em 2020/21. Ele começou jogando em 30 compromissos, saindo do banco em outros 13.

Já em 2021/22, Luciano Spalletti assumiu o comando do Napoli, e Lozano começou alternando entre ser titular e entrar no decorrer das partidas. A partir do fim de 2021, conquistou a confiança do novo técnico e engatou uma boa sequência entre os 11 iniciais, mas não teve o mesmo desempenho do ano anterior. Com uma lesão no ombro que o deixou sem condições de jogo em fevereiro, o mexicano teve seis gols e cinco assistências em 37 partidas, sendo titular em 25.

Por fim, Lozano foi um reserva confiável em sua reta final em Nápoles. Enquanto Khvicha Kvaratskhelia tomava conta da ponta esquerda, o mexicano se revezou mais com Matteo Politano na ponta direita, mas esteve quase sempre à disposição de Spalletti. Sendo titular em 24 ocasiões e saindo do banco em 17, somou quatro gols, quatro assistências e foi o nono jogador do elenco com mais partidas na temporada mágica da conquista do Campeonato Italiano, encerrando um jejum de 33 anos do clube.

Volta para casa e novo papel em time de garotos

Lozano foi relacionado para as duas primeiras rodadas do Campeonato Italiano 2023/24, mas não saiu do banco. A chegada Jesper Lindström impulsionou o retorno do jogador ao PSV, que o anunciou com festa nesta sexta-feira (1), último dia da janela de transferências.

A contratação daquele que foi destaque no título holandês de 2018 e que ajudou o time a chegar pela última vez até a fase de grupos da Champions League anima o torcedor, obviamente. Por ainda ter 28 anos e vir de uma das principais equipes da Europa, espera-se que Lozano tenha um nível parecido com de sua primeira passagem, mas junto com um novo papel importante.

Tendo chegado até as quartas de final da Champions League na última temporada, Lozano tem a experiência continental que falta ao elenco do PSV. O clube de Eindhoven fez um mercado interessante, mas se reforçou majoritariamente com jovens de muito potencial.

Também nesta sexta-feira, o PSV anunciou a chegada do zagueiro Armel Bella-Kotchap. O jogador de 21 anos foi emprestado pelo Southampton por uma temporada e é extremamente promissor, tendo feito parte do grupo da Alemanha que disputou a última Copa do Mundo. Por outro lado, o garoto tem poucos minutos em divisões de elite, somando 22 partidas na Bundesliga, pelo Bochum, e 24 na Premier League.

Além de Bella-Kotchap, o PSV trouxe o lateral-direito Sergiño Dest (22 anos), os meias Jerdy Schouten (26) e Malik Tillmann (21), os atacantes Noa Lang (24) e Ricardo Pepi (20). Todos os reforços desta janela de transferências tiveram passagens por suas seleções de base, enquanto alguns já foram convocados para as principais. A qualidade é evidente, mas ter alguém com a experiência e possível vontade em retomar o protagonismo como Lozano será importante.





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *