+55 (11) 937.049.607


“Não pintei uma única gorda em minha vida. Expressei o volume, busquei dar protagonismo ao volume, torná-lo mais plástico, mais monumental, quase uma comida, por assim dizer, arte comestível. A arte deve ser sensual, digo nesse sentido”, comentou, ao ser perguntando sobre seu estilo.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *