+55 (11) 937.049.607


A engenheira civil Ana Paula Pridonik, de 27 anos, morreu na tarde desta terça-feira na Santa Casa de Campo Grande, na capital sul-mato-grossense. A jovem era a atual mulher do pecuarista Garon Maia e madrasta de Francisco Veronezi Maia, os dois mortos em uma queda de avião neste sábado nas proximidades da cidade de Vilhena, em Rondônia.

Viúva havia sido socorrida por pecuarista

A informação foi confirmada ao GLOBO pela Santa Casa de Campo Grande. Ana Paula deu entrada na unidade de saúde no início da tarde de hoje e morreu às 14h50. Ela havia sido socorrida mais cedo pelo Corpo de Bombeiros, em sua casa, com um ferimento causado por arma de fogo.

Garon Maia e o filho, Francisco Veronezi Maia — Foto: Reprodução/ Facebook
Garon Maia e o filho, Francisco Veronezi Maia — Foto: Reprodução/ Facebook

Pai e filho morreram em acidente aéreo

Ana Paula morreu pouco depois do sepultamento do companheiro e do enteado. O fazendeiro Garon Maia Filho, de 42 anos, e seu filho Francisco Veronezi Maia, de 11 anos, não resistiram aos ferimentos de um acidente aéreo acontecido sábado. Pai e filho morreram na tragédia.

Os corpos de Francisco e Garon Maia foram sepultados nesta terça-feira em Campo Grande. A despedida aconteceu no Cemitério Parque das Primaveras e reuniu uma multidão que compareceu para prestar apoio à família das vítimas.

Relatos de quem compareceu à despedida indicam que foram inúmeras as homenagens feitas por familiares, amigos e empresas às vítimas do acidente. Colegas de escola do menino compareceram ao velório para dar adeus e prestaram homenagem ao amigo.

Ana Paula Pridonik, de 27 anos, era companheira do pecuarista Garon Maia e madrasta de Francisco Veronezi Maia — Foto: Reprodução de Instagram
Ana Paula Pridonik, de 27 anos, era companheira do pecuarista Garon Maia e madrasta de Francisco Veronezi Maia — Foto: Reprodução de Instagram

Família se pronuncia nas redes

Por meio de nota divulgada nas redes sociais, a família Maia se pronunciou sobre a perda e homenageou pai e filho. “Sabemos que eles também tocaram a vida de muitas pessoas e, portanto, compartilhamos essa dor com todos que amaram e que hoje também choram sua partida”.

Em texto que circula nas redes sociais, supostamente escrito pelo irmão de Garon Maia, é dito que o piloto saiu com a aeronave para abastecê-la e buscar pizzas. O avião caiu nas proximidades de Vilhena, em Rondônia, a poucos quilômetros do Mato Grosso, destino final do voo. A viagem até a Fazenda Jaqueline, para onde seguiam, é estimada em 15 minutos, mas o avião sumiu dos radares cinco minutos após decolar.

Nota de luto divulgada pela família Maia — Foto: Reprodução/ Redes sociais
Nota de luto divulgada pela família Maia — Foto: Reprodução/ Redes sociais

Garon Maia, apontado por amigos como o piloto do avião no momento da queda, era conhecido como um condutor experiente.

Em vídeos que circulam nas redes sociais após a morte de pai e filho, Francisco Veronezi, de apenas 11 anos, aparece pilotando a aeronave enquanto Garon bebe cervejas do lado. “Meu piloto, boa”, comenta o pai no registro compartilhado nas redes sociais dias antes do acidente.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *