+55 (11) 937.049.607


O diagnóstico de retinoblastoma da filha do jornalista Tiago Leifert e Daiana Garbin ganhou repercussão e foi a público no programa “Fantástico”. Eles falaram sobre a doença e a campanha “De olho nos olhinhos”, visando chamar atenção dos pais a procurar um oftalmologista e ajudar na descoberta precoce da doença.

O retinoblastoma, um câncer ocular raro que afeta principalmente crianças, requer detecção precoce para um tratamento bem-sucedido e a preservação da visão. A oftalmologista pediátrica renomada, Dra. Luiza Paulo Filho, enfatiza a importância dos exames oftalmológicos regulares desde os primeiros meses de vida. Ela ressalta que os pais e profissionais de saúde devem estar atentos a vários sinais indicativos dessa condição.

De acordo com a Dra. Luiza Paulo Filho, “A detecção precoce é fundamental quando se trata de retinoblastoma. Os pais devem levar seus filhos a exames oftalmológicos regulares, começando nos primeiros meses de vida. Isso nos permite identificar sinais precoces dessa doença e iniciar o tratamento de forma eficaz.”

Alguns dos principais pontos destacados pela Dra. Luiza Paulo Filho incluem:

  1. Exames oftalmológicos regulares: É crucial que as crianças façam exames oftalmológicos regulares, conduzidos por oftalmologistas pediátricos experientes, que podem identificar sinais precoces de retinoblastoma.
  2.  Reflexo vermelho: Um dos sinais mais notáveis do retinoblastoma é a presença de um reflexo vermelho ou branco anormal na pupila quando exposta à luz. Essa diferença entre as pupilas é um sinal de alerta.
  3.  Estrabismo persistente: O estrabismo, ou desalinhamento dos olhos, pode ser um sinal de retinoblastoma. Se uma criança apresentar estrabismo persistente, uma avaliação oftalmológica é crucial.
  4. Leucocoria: A leucocoria, um reflexo branco anormal nas pupilas, pode ser observada em fotografias sem flash e é um sinal preocupante.
  5. Diminuição da visão: A Dra. Luiza Paulo Filho destaca que pais devem estar atentos a sinais como a diminuição súbita da visão ou o hábito de esfregar frequentemente os olhos.
  6. Histórico familiar: Em alguns casos, o retinoblastoma pode ser hereditário. Portanto, se houver histórico familiar da doença, é fundamental que as crianças sejam submetidas a exames oftalmológicos regulares.

Em resumo, a Dra. Luiza Paulo Filho enfatiza que a detecção precoce do retinoblastoma em crianças é vital para garantir um tratamento eficaz e preservar a visão. Ela recomenda que os pais estejam atentos aos sinais mencionados e procurem atendimento médico imediatamente se observar qualquer anormalidade nos olhos de seus filhos. O diagnóstico precoce aumenta significativamente as chances de sucesso no tratamento do retinoblastoma.

Repórter Ceará 



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *