+55 (11) 937.049.607


22 ago
2023
– 21h34

(atualizado às 21h40)




Foto: YouTube/Jovem Pan News / Pipoca Moderna

A Jovem Pan demitiu o apresentador Tiago Pavinatto e o comentarista Rodolfo Mariz nesta terça-feira (22/8), após a apresentação do programa “Linha de Frente”. Pavinatto ignorou as orientações da direção da emissora e se recusou a pedir desculpas ao desembargador Airton Vieira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a quem chamou de “vagabundo e tarado” devido a uma decisão judicial. Mariz, que chorou ao comentar o caso ao vivo, também foi desligado.

 

O incidente que levou à demissão

Durante o programa “Linha de Frente”, Pavinatto expressou sua revolta após o desembargador Airton Vieira inocentar um acusado de estupro contra uma menina de 13 anos. O apresentador usou palavras fortes contra o magistrado e se recusou a fazer uma retratação, mesmo após a direção da emissora solicitar.

“A direção da casa está pedindo uma retratação ao desembargador Airton Vieira, e eu não vou fazer, tá? Eu deixo claro aqui: eu não vou fazer uma retratação pra uma pessoa que ganha dinheiro público, livra um pedófilo e ainda chama a vítima, de 13 anos de idade, de vagabunda. Eu me nego a fazer”, declarou Pavinatto.

 

A decisão da Jovem Pan

A demissão foi confirmada em uma nota enviada pela Jovem Pan à imprensa. “O apresentador Tiago Pavinatto e o comentarista Rodolfo Mariz cometeram excessos em suas participações e recusaram a orientação de realizar, ao término do programa ‘Linha de Frente’, uma responsável retratação. Em virtude do ocorrido, a direção do canal decidiu pelo desligamento dos profissionais”, diz o comunicado.

A versão de Pavinatto

Pavinatto deu sua versão sobre a demissão nas redes sociais, dizendo que não foi demitido, apenas preferiu perder o contrato. “Eu jamais, JAMAIS, pediria desculpas por me revoltar contra um desembargador que inocentou um pedófilo septuagenário argumentando que a criança estuprada era prostituta e drogada. Não fui demitido: disse, com paz de espírito, que preferia perder o contrato a perder a decência”, publicou no X/Twitter.

 

Histórico de Pavinatto na emissora

Tiago Pavinatto entrou para o quadro de funcionários da Jovem Pan em junho do ano passado. Mas em pouco tempo arrumou várias confusões.

Em dezembro de 2022, ele foi suspenso e afastado da apresentação do “Linha de Frente” após debochar do discurso de Alexandre de Moraes na diplomação de Luiz Inácio Lula da Silva como presidente eleito, inclusive com gestos obscenos.

Em maio deste ano, Pavinatto insinuou que o ministro da Justiça, Flávio Dino, poderia fazer parte da facção criminosa CV (Comando Vermelho), o que levou a direção da Jovem Pan a pedir que ele dosasse suas palavras.

Mesmo avisado de possíveis consequências, ele não dosou. Seus comentários nas redes sociais são ainda mais incisivos, geralmente em defesa do bolsonarismo e seus mitos.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *